06/07/2012 - Transporte coletivo opera com sistema de alerta

Para garantir a inclusão, a liberdade de locomoção e ampliar o acesso às informações do transporte coletivo a Prefeitura de São Carlos solicitou ao grupo Criar (empresa detentora do software) e a empresa Athenas Paulista (que já possui o banco de dados, geoposicionamento via GPS e GPRS e o monitoramento das linhas do transporte coletivo) a implantação de um sistema de alerta da chegada do ônibus e aproximação do ponto de descida (conhecido como alerta bus) que pode ser baixado e operacionalizado via celular.

O sistema pioneiro entre as cidades da região poderá ser utilizado pela população em geral, mas beneficiará principalmente os deficientes auditivos, cerca de 200 em toda a cidade, portadores de necessidades especiais e idosos. Segundo o grupo Criar, depois de receber informações do sistema instaladoem São Carlosas cidades de Ribeirão Preto, Santos e Curitiba também já solicitaram o desenvolvimento da mesma tecnologia para os seus municípios.

Como funciona o sistema - Todo celular com capacidade de acesso ao pacote de dados, que utilize sistemas que executem um programa JAVA, ou possuam sistema ANDROID, ou Windows ME pode acessar o sistema. Para a sua utilização é necessário ter um pacote de transmissão de dados habilitado para o aparelho celular. Para baixar o programa o usuário deverá mandar um torpedo (mensagem) para a sua operadora de telefonia celular, digitando a palavra instalar, dar um espaço, digitar alertabus, dar outro espaço, digitar o sistema do célula JAVA ou ANDROID, enviar e aguardar a mensagem de retorno que vem com o link de instalação e seguir as orientações.

Para os clientes Vivo é necessário enviar a mensagem para o número (16) 9717-2277, para a TIM (16) 8168-4444, Claro (16) 9342-7500 e OI (16) 8836-8888 para acessar o programa (desenvolvido para celulares com plataforma JAVA E ANDROID) e inserir o número da linha de ônibus desejada e o número do ponto de parada de ônibus onde o usuário se encontra. O sistema informa na tela do celular a distância, o tempo estimado de chegada e o número de pontos do ponto de ônibus onde o usuário se encontra.

Caso o usuário não consiga instalar o programa tem ainda a opção de consultar o suporte do grupo Criar através dos telefones (16) 3512-9000 ou 0800 942 9422. É importante que se faça a ligação de outro aparelho para poder operacionalizar o celular onde será instalado o bus alert.

Para poder identificar o número do ponto o projeto inicial terá 40 pontos já identificados com placas numeradas em alto relevo e braile, além da expansão já prevista com numeração para os demais pontos. Numa segunda etapa os pontos também terão guia de solo via piso podotátil. Foram identificados nesta fase os pontos de ônibus em locais de interesse, como Mercado Municipal, Câmara Municipal, entre outros.

Etapas do projeto piloto – O sistema já opera numa primeira etapa em fase de testes, informando via celular o deficiente visual e toda a população. Na segunda fase o motorista de ônibus vai receber um feed back sabendo que no ponto que está cadastrado no programa tem um deficiente físico ou visual ou uma pessoa com necessidade especial o motorista vai receber o nome da pessoa no painel. Ele vai poder parar o ônibus e chamar o usuário deficiente pelo nome.

A identificação de todas as linhas (hoje 60 linhas regulares e 70 especiais que só operam nos horários de pico) vai ser feita gradativamente. Segundo a concessionária do transporte coletivo a frota possui atualmente 146 ônibus, sendo que 6 deles fazem o atendimento dos deficientes (cerca de 300 cadastrados) porta a porta com agendamento. Da frota 22 ônibus são adaptados para o transporte dos portadores de deficiência.

O deficiente visual Ailton Alves Guimarães, vice-presidente do Conselho Municipal de Pessoa com Deficiência ressalta que a conquista do novo sistema vai beneficiar a categoria, mas principalmente a todos os usuários do transporte coletivo.

“Antes da operação do sistema nós deficientes visuais tínhamos que sair na companhia de alguém ou ficar perguntando o nome da linha do ônibus que estava se aproximando e nem sempre a informação era correta. O sistema agora me da segurança, autonomia de ir e vir para outros lugares sabendo onde está o ônibus e por isso estou muito feliz”, disse.

Sérgio Soares responsável pela empresa que desenvolveu o software explicou que “o sistema vai beneficiar o usuário que antes tinha a informação de que o ônibus ia passar certa hora. Agora o usuário vai saber a que distância, a quantos pontos e a que hora ou minuto exato o ônibus vai chegar, não havendo mais a preocupação de chegar ao ponto e saber que o ônibus já passou. O sistema traz tranquilidade porque o usuário vai poder estar na escola, no trabalho, fazendo qualquer outra coisa aproveitando o tempo para que chegue no ponto de ônibus minimizando o tempo de espera”.

“Quando da solicitação da Prefeitura para que o sistema fosse desenvolvido nós fizemos um trabalho de orientação junto aos deficientes visuais que também nos ajudaram com sugestões e orientação sobre as dificuldades. Implantamos os números do ponto em braile e alto relevo. O sistema vai dar para os usuários maior condição de mobilidade, liberdade de deslocamento, acessibilidade e permitir a inclusão ao sistema”, explicou a secretária de Transporte e Trânsito, Regina Romão.

Miguel Cimatti diretor presidente da Athenas Paulista ressaltou que a empresa atendeu a solicitação da Prefeitura, porque “o reflexo da operação do sistema será a garantia de oferecer um transporte ainda melhor para a população que terá informação mais precisa sobre as linhas e chegada dos ônibus”.

Para a segunda etapa onde o motorista vai saber em qual ponto há um deficiente esperando o ônibus, Cimatti disse também que a Athenas Paulista já está treinando os motoristas para operacionalizar os módulos instalados no interior dos ônibus.


Fonte: Portal Jornal Primeira Página